Saul Steinberg: comida de criança nos EUA.

Achei outro dia esta maravilhosa entrevista no blog da Nina Horta com o cartunista Saul Steinberg (1914-1999). Que privilégio essa mulher teve em poder falar sobre comida com um dos gênios do cartum que mais aprecio.

Vejam um trecho, mais especificamente sobre hábitos alimentares das crianças americanas.


Foi no século passado, mas duvido que tenha mudado muito.

Nina – E o que achou da comida, dos restaurantes.

SS – Bom, nos Estados Unidos é diferente. Não tem nada a ver com o resto do mundo. Ainda são bárbaros em matéria de comida, imagine!  Restaurante não é lugar de comer e sim de se divertir. Comida gordurosa, comida frita e as crianças gostam. E se as crianças gostam o americano adulto também gosta. Eles conservaram o paladar infantil. E as crianças americanas só comem cachorro quente, hambúrguer e macarrão com almôndegas, tudo bem mole e encharcado de molho ketchup e mostarda ruim.

Nina – Por que será que se formou este gosto num país cheio de bons ingredientes frescos?

SS – Bom, são forçados a comer desde pequenos pela mãe. Depois pela escola que tem merenda grátis. E podem comprar também na cantina doces horríveis, pizzas, hambúrgueres e sorvetes. Fora da escola comem também e bebem em latinhas com três canudos jogando tudo na calçada quando acabam de comer. Caixa, lata, enfim,como vacas que deixam cair a bosta no pasto.

Nina – O senhor implicou mesmo com os modos americanos de comer. Deve ser um reflexo de sua infância mais pobre, reprimida, educada, obediente. Onde só se dizia não, para as crianças.

SS- Pode ser, mas vivi na Itália e a preocupação com a comida era bem diferente. Sabiam apreciar o que era bom, os restaurantes tinham comida simples,mas muito boa.

Nina7

Anúncios