Sentimentos gostosos na mesa. Tá servido?

Muitas vezes me perguntam: como você faz para sua filha comer bem no almoço ou jantar? E eu penso no nonsense que existe por trás dessa frase. Desde quando é preciso fazer algo para se comer vem? Ninguém pergunta: como você faz para sua filha comer bem sorvete ou chocolate?

Existe algum problema muito grave com a humanidade. Em alguns pontos do mundo, passa-se fome. Em outros, onde há fartura, as crianças precisam de técnica e dicas para aprender a comer, inclusive coisas gostosas.

Comer é lindo. É um dos prazeres que podemos ensinar aos filhos. É um momento de pausa altamente propício para apreciarmos sabores e compartilharmos bons sentimentos.

DSC01732

Júlia, com dois anos e meio, se esbaldando no menu enfant em Bourges. Quando tivermos certeza que ela poderia comer de tudo, em função das complicações que teve ao nascer prematura, levamos ela para a França, um dos berços da gastronomia, a fim de celebrar.

DSC01574

A menina que ama brócolis também adora sorvete.

Comer com prazer é diferente de comer com compulsão. Comer com prazer é sem pressa, é com apreciação, é saudável. Os filhos podem ser uma oportunidade de vivenciarmos isso com mais intensidade.

Imagem4

Outro dia comentei com um amigo, o Pierre Masato: este blog poderia se chamar a "pequena hedonista". Ou um "blog de família". Não que uma coisa exclua a outra, entende?

Imagem4

Quem puder e tiver a fim: hoje tem entrevista minha na CBN, no programa Revista CBN da Tânia Morales, às 13h30. Ela foi muito querida em querer me ouvir e se dispor a compartilhar meu blog com seus ouvintes.

Obrigada, Tânia!

Contei um pouco da história da Júlia, que, por causa da prematuridade extrema realizou 2 cirurgias, com um mês de vida, que a deixaram com apenas 1/3 do intestino. Apesar de ter começado a vida praticamente com alimentação especial, hoje ela come de tudo, leva uma vida normal e virou uma gourmand.

Para quem não sabe, este blog surgiu há cerca de um ano para contar sobre as descobertas de sabores dessa pequena guerreira. Meu interesse pelo universo da gastronomia infantil faz parte do meu cotidiano, seja na hora de cozinhar para a minha filha, apreciá-la comendo um bom prato, ler um livro da Ruth Reichl, escrever semanalmente na fanpage da Pampers no Facebook, almoçar fora, fazer compras no supermercado, pensar em saúde ou prestar atenção nas ideias de Michael Pollan.

Imagem6

Hey, a entrevista já está disponível no site da CBN 🙂

Anúncios